“Não queremos ofertar só celeridade, queremos também qualidade”, afirma corregedora-geral da Justiça durante abertura da Correição da Comarca de Araguaína - Notícias - Diligência - Credibilidade em informação jurídica

Notícias

“Não queremos ofertar só celeridade, queremos também qualidade”, afirma corregedora-geral da Justiça durante abertura da Correição da Comarca de Araguaína

Jurídicas 22/09/2021
“Não queremos ofertar só celeridade, queremos também qualidade”, afirma corregedora-geral da Justiça durante abertura da Correição da Comarca de Araguaína
A qualidade dos serviços prestados ao cidadão pelo Poder Judiciário foi ressaltada, na tarde desta terça-feira (21/9), pela corregedora-geral da Justiça, desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, durante a solenidade de abertura dos trabalhos correcionais nas unidades judiciais e administrativas, estabelecimentos prisionais, unidades socioeducativas e entidades de acolhimento da Comarca de Araguaína. “Devemos atuar como agentes de transformação visando o acesso à Justiça, nosso objetivo comum é que o atendimento ao jurisdicionado seja rápido e eficiente. Não queremos ofertar só celeridade, queremos também qualidade. E esta é a intenção desta correição, buscar a melhoria constante do Judiciário”, afirmou a magistrada aos juízes e servidores de Araguaína e integrantes do Sistema de Justiça ao oficializar o início dos trabalhos correcionais. A solenidade ocorreu virtualmente, com transmissão pelo canal do YouTube do Tribunal de Justiça.
A desembargadora Etelvina Felipe reforçou que as atividades correcionais já estão em andamento por parte da equipe da Corregedoria, levantando informações da Comarca de Araguaína disponíveis no sistema Eproc e junto às unidades administrativas do Tribunal de Justiça, reforçando a importância da participação de todos no aprimoramento da unidade. “Queremos ouvir todos os juízes, servidores e àqueles que atuam no Sistema de Justiça na Comarca de Araguaína, a segunda maior do Estado. Recebemos sugestões, reclamações e críticas como oportunidades de melhoria da prestação jurisdicional. O nosso maior bem comum é o cidadão.”
O juiz diretor do Foro de Araguaína, Fabiano Ribeiro, também solicitou a participação de todos nos trabalhos correcionais. “Estamos retomando as nossas atividades presenciais, mas ainda com restrições. O nosso sonho é voltarmos à normalidade, mas enquanto não é possível, todos os integrantes da Comarca estão se esforçando para atender a todos, advogados, demais integrantes do Sistema de Justiça e a comunidade, da melhor forma possível. Seguimos abertos às contribuições de todos para avançarmos continuamente”, afirmou.
Demandas Ouvidas
Como em toda abertura de correição, a corregedora-geral ouviu e respondeu às demandas dos representantes das áreas judiciais e extrajudiciais. Entre os participantes, o presidente da OAB, subseção de Araguaína, José Pinto Quezado, solicitou, entre outros pontos, o retorno da abertura dos fóruns para atendimento de forma presencial e maior celeridade na prestação jurisdicional. Já a Diretora do Núcleo Regional da Defensoria Pública de Araguaína em substituição, Aline Mendes de Queiroz, pediu atenção especial para a vulnerabilidade digital de muitos cidadãos que recorrem aos serviços da Justiça.
“O momento ainda não nos permite o retorno integral do atendimento presencial. Mas é importante ressaltar que o avanço tecnológico veio para ficar, inclusive preconizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pois, promove economicidade, agilidade e facilita o acesso à Justiça. Por isso, ainda que voltemos à normalidade, muitas das atividades virtuais permanecerão”, explicou a desembargadora Etelvina Felipe. 
Presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Tocantins - Asmeto, a juíza Odete Almeida trouxe em sua fala exemplos positivos envolvendo audiências virtuais. “Já fiz audiências com uma das partes na Austrália, em zonas rurais do Tocantins, basta informarmos tudo com antecedência”, contou.
A juíza também avaliou que as correições vêm com esse viés de colocar no prumo as atividades judiciais: “o foco é a nossa melhoria enquanto prestadores de serviço à sociedade. Sabemos que essa união institucional é fundamental para avançarmos. Temos um cliente comum que é o jurisdicionado”, concluiu.
Presentes na solenidade
Também participaram da solenidade de abertura da Correição de Araguaína os juízes auxiliares da Corregedoria, Rosa Gazire Rossi e Roniclay Alves de Morais; a chefe de Gabinete da Corregedoria, Jeane Justino;  o chefe de Gabinete da Procuradoria Geral da Justiça, Abel Andrade Leal Junior;  Raquel Barbosa Lopes Cavalcante Tirello,  tesoureira da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado do Tocantins – Arpen, representando o presidente Ney Querido; o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Tocantins -  Anoreg, Valdiram Cassimiro da Rocha Silva; a presidente do Sindojus-TO, oficial de justiça Luana Rodrigues e major da Polícia Militar Teobaldo Bento Vieira, representando  o comandante do 2º Batalhão da PM Coronel Valdeone.
Trabalho Correcional
Todo o trabalho correcional será realizado remotamente, por videoconferência, no período de 22 de setembro a 1º de outubro, sendo presididos pela corregedora-geral da Justiça e coordenados pela juíza auxiliar da Corregedoria, Rosa Maria Rodrigues Gazire Rossi. As atividades nas unidades judiciais e administrativas, estabelecimentos prisionais, unidades socioeducativas e entidades de acolhimento serão acompanhadas e executadas pela equipe de correição composta pelos seguintes servidores: Célia Regina Cirqueira Barros, Fernanda Pontes Alcântara, Ketlen Karolynny Pinheiro Cruz, Leidjane Fortunato da Silva Borges, Lilian Carvalho Lopes, Maristela Alves Rezende, Michele de Souza Costa Romero, Rogério Liria Bertini e Vânia Ferreira da Silva Rocha.
As correições ordinárias são um importante momento de aproximação do Judiciário com os seus integrantes, representantes do Sistema de Justiça e a sociedade em geral, que podem participar com eventuais sugestões, elogios ou reclamações, apresentados, preferencialmente, por meio de formulário eletrônico, disponível no site da Corregedoria-Geral da Justiça, ou ainda pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..
A Comarca de Araguaína encerra o cronograma de correições ordinárias definido pela Portaria Nº 449/20021 CGJUS/SECORPE CGJUS, de 26 de fevereiro de 2021.
Kézia Reis – ASCOM CGJUS-TO


Fonte: Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins

© Diligência.com.br
competente, confirma , sentença, indenizar, indenização, turma, mandado de segurança, recorreu da sentença, Conselho Regional, Colegiado, desocupação , Defensoria Pública da União, DPU, Ministério Público Federal , MPF, Advocacia-Geral da União , AGU, Caixa Econômica Federal , CEF, Departamento Nacional de Infraestrutura , DNIT, Departamento de Estradas e Rodagem , DER, DNER, PFE, Data do julgamento, Publicação no diário oficial , Servidores públicos , aquisição de estabilidade, condenação, condena, condenado, recorrente , recorrido, constituição federal, aposentadoria por invalidez, AIDS, portador, cardiopatia, imposto de renda, IR, Fazenda Nacional , apelante, princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, união , agravo de instrumento, adicional de férias, polo passivo, interesse processual , processamento e julgamento, pensões e aposentadorias, pensão, aposentadoria, competência, demandante, descumprimento da obrigação, sentença penal , unânime, provimento, aposentadoria especial, tempo de serviço, tempo de contribuição, julgou procedente, autarquia , Instituto Nacional do Seguro Social , INSS, CTPS, impetrante, ajuizamento da ação, serviço especial , ANP